Apresentação dos membros da equipe: Felipe Borges

felipe

Felipe Borges é mestrando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFMG. Em 2012, formou-se em Comunicação Social com habilitação em jornalismo pela mesma instituição e, atualmente, dedica-se aos estudos da narrativa na televisão e no cinema, com ênfase em realidades múltiplas e temporalidade. No grupo, seu interesse permeia as narrativas policiais e ficção-científica.

A atual pesquisa de Felipe pretende investigar como o indício abre realidades e propõe um agenciamento de temporalidades diferentes a partir do gesto interpretativo dos investigadores na série de televisão True Detective. O integrante do Tramas explica que na narrativa policial, existe uma expectativa da figura do detetive organizar a realidade e reestabelecer uma ordem temporal após o acontecimento de um crime. Porém, na série analisada, o investigador se mostra incapaz de promover essa estabilidade, uma vez que o rastro surge como uma possibilidade de estabelecer múltiplas realidades. Seu trabalho toma por base os estudos de Paul Ricoeur (1994, 1997) e Carlo Ginzburg (1986, 2007).

Mais informações no Lattes do pesquisador

Anúncios

Apresentação dos membros da equipe: Nuno Manna

NUNO.

Nuno Manna Nunes Côrtes Ribeiro é pesquisador, jornalista e compõe a equipe do Núcleo de Estudos Tramas Comunicacionais: Narrativa e Experiência. Além disso cursa doutorado no programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFMG, na modalidade Doutorado Sanduíche pela Columbia University. Seus estudos atuais trazem questões que permeiam a narrativa, a estética, o tempo e a história em suas relações de saber e de poder.

Sua pesquisa anterior – “Crises do homem sério” – investiu nos paradoxos do saber moderno configurados pela narrativa fantástica a partir de exemplos do cinema e da literatura. Como desdobramento, seu trabalho atual– “Jornalismo e o espírito intempestivo” – se dedica a uma compreensão do jornalismo como mediação da experiência histórica, tomando o fantástico como operador heurístico dos paradoxos temporais envolvidos na narrativa jornalística. Da interlocução entre jornalismo e literatura, Manna realiza análises de notícias de jornais diários, a Folha de S.Paulo e o New York Times, nas relações que estabelecem com seus respectivos regimes de historicidade.

Mais informações do pesquisador em seu Lattes .

Apresentação dos membros da equipe: Juliana Soares Gonçalves

JULIANA

Juliana Soares Gonçalves é membro do Núcleo de Estudos Tramas Comunicacionais: Narrativa e Experiência e integra os grupos de pesquisa  A intriga dos dispositivos: a narratividade jornalística para além da notíciaNarrativas de um problema cotidiano: a violência de gênero e o testemunho jornalístico. Atualmente é mestranda no curso de Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais, onde pesquisa de que forma são construídas as narrativas em primeira pessoa sobre violência de gênero publicadas na revista Sou Mais Eu, a partir do conceito de tessitura da intriga de Paul Ricouer (2010).

Juliana Soares ressalta que dos elementos estruturais de tais narrativas, além dos testemunhos; a dimensão de superação atravessa não só os relatos do tema em questão, mas os demais textos que compõem a revista, operando como um fio que confere unicidade aos diferentes elementos da publicação.

Para maiores informações sobre a integrante, acesse seu currículo Lattes .

Seminário ” Os Sentidos da Morte tem local alterado no dia 19 de novembro

Em razão de um imprevisto, a organização do Seminário “Os Sentidos da Morte” informa que no dia 19 de novembro, quinta-feira, o evento será realizado na sala 3100 da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG. Na sexta-feira, o evento segue na sala da Congregação, no 1º andar do mesmo prédio. Os horários permanecem inalterados, tendo início, às 14 horas de ambos os dias.

Convite seminário Sentidos da Morte

Os Sentidos da Morte é tema de seminário na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG

 

Convite seminário Sentidos da MorteNo âmbito do projeto “O fluxo e a morte: desafios teórico-metodológicos acerca do ‘acontecimento mediático'” (FCT/CAPES) será realizado o Seminário “Os Sentidos da Morte”.  Morte e notícia, a morte incômoda, a morte e suas vítimas e impressos da morte são as temáticas que serão abordadas pelas mesas de debate no evento .

O projeto ” O fluxo e a morte” reúne um conjunto de investigadores do CECS UMinho (Portugal) e da Universidade Federal de Minas Gerais e tem como propósito o desenvolvimento de ferramentas teórico-metodológicas que permitam a apreensão do acontecimento mediático no fluxo quotidiano.

Os debates  do Seminário ” Os Sentidos da Morte” serão realizados nos dias 19 e 20 de novembro na sala da Congregação, no 1 º andar da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, a partir das 14 horas.  As inscrições para o seminário são gratuitas e devem ser feitas no próprio evento. Quem obtiver pelo menos 60% de presença receberá certificado.

Programação: 

19/11 – Quinta-feira

14h: ABERTURA – Elton Antunes/Bruno Leal

14H30 – Mesa 1: Morte e notícia

Samuel Andrade (UFMG)

Ana Melo/Sandra Marinho (UMinho – Portugal)

Paula Guimarães (UFMG)

Rafael José Azevedo (UFMG)

 

16h30 – intervalo

17h – Mesa 2: A morte incômoda

Belmira Coutinho (UMinho – Portugal)

Felipe Borges (UFMG)

 

20/11 – Sexta-feira

14h Mesa 3: A morte e suas vítimas

Carlos Mendonça (UFMG)

Juliana Gonçalves (UFMG)

Angela Marques/Angie Biondi (UFMG/UTP)

Carlos Brito e Melo (UFMG)

16h Intervalo

16h30 Mesa 4: Impressos da morte

Maria Gislene Carvalho (UFMG)

Bruno Martins (UFMG)

18h – Encerramento: Moisés Martins (UMinho)/Paulo Bernardo Vaz (UFMG/Fumec)

 

Sociológo Moisés Martins realiza curso sobre mídia e cultura na UFMG

Pesquisador tratou de temas como a fragmentação da cultura e o fim das narrativas
Pesquisador tratou de temas como a fragmentação da cultura e o fim das narrativas

Entre os dias 18 e 20 de novembro, o sociólogo português Moisés de Lemos Martins, da Universidade do Minho, esteve na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para ministrar o curso Mídia e Cultura Contemporânea. O evento foi promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social (PPGCOM) da UFMG.

Estilhaços da cultura

No primeiro dia de atividades, Moisés tratou do estilhaçamento da cultura na contemporaneidade. Dentre os motivos que levaram a isso estão a intensa relação entre homem e máquina e a crescente importância da cibernética. Nesse contexto, o pesquisador destacou a questão do controle de informações e da vigilância.

Segundo Moisés, a sociedade atual é caracterizada pelo uso de tecnologias de informação, mas não de comunicação. Isso impede que cheguemos ao outro – algo fundamental, já que “comunicação é relação”.

Do logos para o pathos

No segundo dia, o pesquisador versou sobre como a humanidade passou de um regime centrado no logos, ou na palavra, e passou para o pathos, relacionado às emoções. “Assim, há um deslocamento do consciente para o inconsciente”, refletiu.

Nesse sentido, houve também uma mudança ligada ao imaginário, em que se opõem o clássico e o barroco, o sublime e o grotesco. Enquanto o clássico envolve linhas perfeitas, harmonia e claridade, o barroco é marcado por linhas tortas, escuridão e subversão de valores. Já o sublime mira o elevado e o estável, ao passo em que o grotesco se caracteriza pelo fragmentado e pelo invertido.

Imagens

Para ilustrar as oposições, Moisés explorou diversos vídeos, tanto no segundo quanto no terceiro dia. Imagens e narrativas de videoclipes, comerciais e desfiles de moda serviram de exemplo.

Em cada um, Moisés apontou aspectos que deixam claras as mudanças que a sociedade contemporânea vivencia, e como isso se reflete em suas produções imagéticas. Além disso, falou também sobre o fim das grandes e pequenas narrativas.

Doutor em Sociologia pela Universidade de Estrasburgo, Moisés de Lemos Martins é professor Catedrático do Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho, onde dirige o Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade. É autor de livros como A linguagem, a verdade e o poder – Ensaio de semiótica social (Ed. Lisboa, 2001) e Crise no Castelo da Cultura – Das estrelas para as telas (Ed. Coimbra, 2009).

Coordenadores do Tramas participam de seminários e cursos em Portugal

Entre 10 e 14 de novembro, os coordenadores do Tramas Comunicacionais, Bruno Leal e Carlos Alberto de Carvalho, estiveram na Universidade do Minho, na cidade de Braga, em Portugal, para participar do seminário “Textos, mídia, mediações e processos de significação: noções teóricas e aspectos”. O evento contou também com a presença dos professores de Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Elton Antunes e Paulo Bernardo Vaz.

Além do seminário, as atividades incluíram reuniões de trabalho e um curso de curta-duração, ofertado pelos quatro professores.  Os eventos fazem parte do projeto conjunto “O fluxo e a morte: desafios teórico-metodológicos acerca do acontecimento midiático”, realizado em parceria com a Universidade do Minho e apoiado pela Capes (Brasil) e FCT (Portugal).

Um pouco antes das atividades em Braga, no dia 13, os professores estiveram na Universidade Lusófona do Porto. Na oportunidade, participaram de uma manhã de palestras em torno do livro Para entender o Jornalismo, organizado por Bruno, Elton e Paulo, e lançado neste ano pela editora Autêntica.

UFMG irá sediar IV Seminário Teorias da Comunicação

IV Seminário Teorias da Comunicação: desafios e potencialidades investigativas

Nos dias 19, 20 e 21 de novembro, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) irá sediar o IV Seminário Teorias da Comunicação: desafios e potencialidades investigativas. No evento, professores de diversas faculdades brasileiras irão discutir os desafios práticos e epistemológicos da pesquisa em Comunicação.

O seminário é resultado de um projeto de cooperação entre professores dos programas de pós-graduação da UFMG e da Faculdade Cásper Líbero. Nesta edição, o evento contará também com pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Federal do Pará (UFPA), Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo (ESPM-SP), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Universidade Tuiuti do Paraná (UTP) e Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Dentre os pesquisadores da UFMG, estão as professoras Vera França e Ângela Marques, que compõem a mesa de abertura na manhã do dia 19. À tarde, os pesquisadores Thales Lelo, Paula Guimarães e Simone Rocha marcam presença mesa 1: Epistemologias da Comunicação.

No dia 20, na parte da manhã, Frederico Vieira e Tamires Coelho, também da UFMG, serão alguns dos componentes da mesa 2: Identidade, autonomia e práticas políticas. À tarde, Ângela Marques irá coordenar as discussões na mesa 3: Comunicação, Política e Redes Sociais, que contará com Ismar Capistrano e Alexei Padilla.

As primeiras atividades do dia seguinte, na mesa 4: Acontecimentos, imagens e debates públicos, serão guiadas pelo professor da Comunicação Social da UFMG e coordenador do Tramas Comunicacionais, Carlos Alberto de Carvalho. A mesa contará também com a presença de Pâmela Guimarães e Ana Karina de Carvalho Oliveira. À tarde, Gober Gomez será um dos componentes da mesa 5: Desafios metodológicos.

Os debates irão ocorrer no CAD II, sala C207, das 8h30 às 12h30 e das 14h às 18h30. As inscrições para o IV Seminário Teorias da Comunicação são gratuitas e devem ser feitas no próprio evento. Quem obtiver pelo menos 60% de presença receberá certificado. Para mais informações, visite a página de Facebook do evento.

PPGCOM promove curso com o sociólogo Moisés de Lemos Martins

Sociólogo português Moisés de Lemos Martins oferta curso na UFMG
Sociólogo português Moisés de Lemos Martins ministra curso na UFMG

Entre os dias 18 e 20 de novembro, o Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social (PPGCOM) da UFMG apresenta o curso Mídia e Cultura Contemporânea. As atividades serão ministradas pelo Prof. Moisés de Lemos Martins, da Universidade do Minho, de Portugal.

No curso, o pesquisador irá tratar de temas como o estilhaçamento da cultura moderna, a indústria cultural, a estetização da experiência contemporânea e a relação entre cultura e técnica. Pensadores como Jean Baudrillard, Derrick de Kerckhove, Giorgio Agambem, Gilles Deleuze, Marshall McLuhan e Jacques Derrida serão discutidos durante os encontros.

Doutor em Sociologia pela Universidade de Estrasburgo, Moisés de Lemos Martins é professor Catedrático do Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho, onde dirige o Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade. É autor de livros como A linguagem, a verdade e o poder – Ensaio de semiótica social (Ed. Lisboa, 2001) e Crise no Castelo da Cultura – Das estrelas para as telas (Ed. Coimbra, 2009).

O curso ocorrerá das 9h às 12h, no auditório Prof. Baesse, no 4º andar da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG. Será fornecido certificado aos participantes que frequentarem pelo menos 75% das atividades. Interessados em participar devem enviar e-mail para ppgcom@fafich.ufmg.br.

Defesas de projetos experimentais de Comunicação Social da UFMG começam no dia 17

Neste segundo semestre de 2014, as apresentações de projetos experimentais de Comunicação Social pela UFMG ocorrem entre 17 e 28 de novembro, na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich). E os coordenadores do Tramas Comunicacionais, Prof. Bruno Souza Leal e Prof. Carlos Alberto de Carvalho, irão compor algumas bancas dos graduandos.

Carlos Alberto orienta “Estamos em obras: A crítica literária no youtube”, produzido por Bruno Barbosa de Assis, que está se formando em jornalismo. A banca, que acontece no dia 27 de novembro, quinta-feira, às 19h, na sala 2, será composta também pela jornalista e doutora em Comunicação Social pela UFMG Cláudia Graça da Fonseca.

No dia seguinte, às 9h15, no auditório Carlos Baesse, ocorre a defesa do trabalho”Caixa! Caixa! Caixa! Os processos de identificação do locutor esportivo da rádio Itatiaia com a torcida do Clube Atlético Mineiro”. Também orientado por Carlos Alberto, é de autoria do graduando em relações públicas Tadeu Duarte de Oliveira Lima. A banca será composta ainda por Elias Santos, Maurício Guilherme e Clara Braga.

Já Bruno orienta o trabalho “Várias Infâncias: reportagens sobre a vida infanto-juvenil em diferentes contextos”, da graduanda em jornalismo Bárbara Pansardi. A defesa será no dia 28 de novembro, sexta-feira, às 11h, na sala 3100. A banca será composta também pelo Prof. Elton Antunes.

No mesmo dia e na mesma sala, às 16h, será apresentado o projeto “Preconceito no futebol: as várias faces de um problema”, também orientado por Bruno e realizado pelos graduandos em jornalismo Débora Helena Costa, Laura Ribeiro Marques, Luiz Campos de Oliveira, Felipe Nunes Pacheco e Raquel Miranda do Carmo. A banca contará com o jornalista Enderson D’Assumpção Cunha.

Confira a lista completa dos projetos experimentais.